Você é um nexialista?

Você é um nexialista?

Alguns olham para a floresta e só a enxergam assim, como um todo. Outros olham e enxergam algumas árvores. E outros ainda, “as” árvores. Estudando sobre Peter Senge, cientista americano do MIT, vi um trecho no qual ele comentava  sobre a metáfora da arte de ver a floresta e as árvores, dizendo que ver as árvores pode ter vários significados. Pode ser enxergar um detalhe, uma sutileza. Mas também pode ser focar nos pequenos problemas e esquecer do resto. Ou ainda, fixar-se nos problemas e não nas soluções.

Ele falava sobre visão sistêmica para resolução de problemas ou algo assim, mas imediatamente me fez lembrar de um tema pelo qual venho me interessando muito como treinadora comportamental que sou. A chamada era do Nexialismo, ou ainda dos profissionais nexialistas.

NEXIALISTA – Há algum tempo atrás quando falava sobre o que eu fazia, uma colega comentou que eu era, então, uma nexialista. Ainda não havia ouvido falar sobre o tema e fiquei com ele na cabeça. Pesquisei e o que vi me fascinou. Principalmente quando vi que estes serão os profissionais do futuro.

Mas afinal o que é um nexialista? Numa rápida busca na Internet você provavelmente encontrará referências a um livro da década de 50 – “The Voyage of the Space Beagle”, possivelmente a inspiração para Jornada nas Estrelas. Viagens espaciais com vários cientistas especialistas e, no meio deles, alguém com especialidade nenhuma, mas com uma profunda capacidade de fazer conexões de conhecimentos. A ele foi dado o nome de Nexialista.

Isso mesmo, década de 50! E mesmo assim tão atual.

Hoje este nexialista faz a mesma coisa que aquele viajante. Enquanto o especialista vai fundo numa área, o generalista aborda um pouco de tudo, ele – o Nexialista – busca o nexo entre tudo isso – sejam pessoas, conhecimentos, informações, ou o próprio caos – e consegue encontrar a solução.

Trata-se de alguém que não tem mais aquele pensamento linear e de soluções padronizadas, mas uma visão sistêmica, sinérgica, baseada em ideias integradoras e com múltiplas abordagens. Trata-se de alguém que quase nunca tem a resposta, mas que sabe onde buscá-la, conectando pessoas e conhecimentos aparentemente não relacionados e fazendo o nexo disto.

ESTADO DE ESPÍRITO – Por isso, diz-se que nexialismo é como um estado de espírito. Uma filosofia de trabalho que hoje é uma das mais desejadas do mercado. Os contratantes até se impressionam pela profundidade do especialista e pela diversidade do generalista. Mas encantam-se pela soluções diferenciadas dos nexialistas que podem, num mesmo projeto, envolver engenharia, filosofia, comunicação e medicina, inovando no que propõem.

Exemplos de nexialistas famosos? Leonardo Da Vince, Thomas Edson, Einstein, Steve Jobs… e alguns dos quais nem saberemos os nomes, que resolvem igualmente de forma nexialista os problemas nas suas comunidades, nas suas empresas, nos seus times de trabalho.

Como não é algo apenas de conhecimento com diploma, os nexialistas podem estar em qualquer lugar. Como reconhecê-los? Eles tem o “por que?” como seu lema. E construíram seu conhecimento a partir das oportunidades, das circunstâncias e das vivências.  

NOVOS NEXOS – Por isso é fácil dizer que alguém que sempre faz mais do mesmo possivelmente nunca será um nexialista. Mas é possível se tornar um? Claro! Mudando a atitude. Buscando novas formações, novas experiências de vida, conversando com pessoas diferentes, escutando e observando. Buscando juntar pessoas com outras pessoas de forma a proporcionar momentos em que possam construir algo juntas. Compartilhando ideias e buscando parceiros. Sem medo do fracasso porque certamente ele vai acontecer muitas e muitas vezes, antes do sucesso.

Mesmo este fracasso pode ser considerado como uma grande experiência. Uma experiência capaz de proporcionar novos nexos no futuro.